Suspeito morre em troca de tiros e dois são presos durante operação em Arapiraca

Grupo é acusado de um duplo homicídio, no município de Feira Grande, em dezembro de 2014

Antônio Joaquim, Garrincha, trocou tiros com a polícia, foi baleado e não resistiu aos ferimentos

Um suspeito morreu e três foram presos, nesta terça-feira (03), durante uma operação em cumprimento a mandados de prisão em Arapiraca. De acordo com informações da Polícia Civil, o grupo é acusado de um duplo homicídio, no município de Feira Grande, em dezembro de 2014, que chocou a população.

No sítio Pocinho, mãe e filho foram assassinados dentro de casa. Após investigação coordenada pelo delegado Gustavo Xavier, os autores do crime foram identificados como os irmãos Jorge Damião, conhecido como Nego, e Antônio Joaquim, conhecido como Garrincha.

A dupla teria sido contrata por R$ 3 mil, por um homem identificado apenas como Cicinho. O contato teria sido feito com um terceiro irmão, Nildo da Silva Santos para que os irmãos matassem Rubens, conhecido como Van Dame. Ainda segundo a investigação, Rubens teria assassinado um irmão de Cicinho a pauladas alguns meses antes.

Durante a operação desta terça, Garrincha, ao perceber a aproximação dos policiais, reagiu a prisão atirando contra a Polícia Civil da 4DRP. Ele acabou baleado, foi socorrido e encaminhado para a Unidade de Emergência de Arapiraca, mas não resistiu aos ferimentos. Nildo foi detido em um ônibus que saiu de Feira Grande com destino a Arapiraca.

O irmão José da Silva Santos, conhecido como Nem, também foi detido em uma residência na Vila Bananeira, zona rural de Arapiraca. Contra ele, os policiais encontraram um mandado de prisão expedido pela justiça do Maranhão, pelos crimes de roubo e estupro. Os irmão Garrincha e Nem também possuem ficha criminal no estado. Eles são acusados de assalto a um ônibus interestadual em 2015 e do estupro de duas dentistas que estavam no coletivo.

O crime

No dia do crime, ao chegar ao Sítio Pocinho, a dupla não encontrou a vítima, identificada como Rubens. No local estava apenas o irmão José Marcos dos Santos, assassinado a tiros na porta de casa, e a mãe, Maria José da Silva, que foi baleada ao tentar socorrer o filho e, em seguida, esfaqueada pelos irmãos Garrincha e Nego.

Os dois possuem extensa ficha criminal, com acusações de estupros, assaltos, receptação, homicídios e tentativas de homicídios.

Após as investigações terem sido concluídas, o delegado Gustavo Xavier representou pela prisão dos envolvidos. O juiz da comarca de Feira Grande decretou a prisão de Garrincha e Nildo. Já Cicinho e Jorge Damião não tiveram a prisão decretada, pois, segundo informações da Polícia Civil, já tinham prestado depoimentos.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *