Banner Guia de Serviços_728x90_pixels

Reitora da Ufal solicita celeridade na apuração de denúncias envolvendo mestrado

 

Preocupada com as denúncias envolvendo o Mestrado Profissional em Administração Pública (Profiap), a reitora Valéria Correia solicitou à Corregedoria da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) que fossem iniciados os procedimentos correicionais, para apurar as acusações direcionadas ao programa de pós-graduação e assim tomar as providências legais cabíveis, caso as denúncias sejam ratificadas. Denúncias de supostas irregularidades no processo seletivo foram publicadas na sexta passada (31), no Portal Diário do Poder.

Constam na matéria acusações de que alunos especiais ingressaram e avançaram no curso em contraposição ao que determinam editais e normas do Profiap. “Trata-se de uma situação grave, que coloca o nome de uma instituição reconhecida como a Ufal em xeque. Por isso, agimos para que as apurações necessárias sejam feitas, através de nossas instâncias administrativas, seguindo a prática de transparência e legalidade dos atos praticados nesta Universidade”, destacou a reitora.

A gestora da Ufal pediu celeridade no trâmite processual, para que a situação seja logo esclarecida, como pode ser visto no fragmento do texto enviado à Corregedoria da Ufal (processo número 23065009739/2017-84): “Guiando-nos sempre pelo princípio da transparência e da publicidade, com a garantia do devido processo legal, do contraditório e da ampla defesa, recomendamos a devida celeridade processual, a fim de que, com brevidade, possamos esclarecer os fatos à comunidade universitária, científica, e perante a população alagoana”.

Seleção do Profiap é nacional

O Profiap é um mestrado profissional em Administração Pública, em rede nacional, cujo edital de abertura de vagas e os exames de acesso são realizados via Exame Nacional de Acesso, com teste da Anpad (Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Administração). O cumprimento dos requisitos dos editais para alunos regulares e especiais ficam sob a responsabilidade de cada Programa.

O coordenador local do Profiap, professor Claudio Zancan, enviou ofício para o presidente do Comitê Gestor Nacional do Programa de Pós-graduação, Dario de Oliveira Lima Filho, com o detalhamento das informações citadas na denúncia, visando dar publicidade e esclarecimentos técnicos sobre os processos de seleção utilizados no curso. O diretor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (Feac), professor Anderson de Barros Dantas, também ingressou com uma solicitação de apuração das denúncias junto à Corregedoria. Na sexta passada, ele havia se manifestado sobre o caso, quando publicou uma nota de esclarecimento.

Ascom/UFAL

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *