Cria
Home Geral Maceió Presos suspeitos de assassinar a travesti Carla Viana em Maceió

Presos suspeitos de assassinar a travesti Carla Viana em Maceió

0
0

Foram presos no final da tarde de ontem (17) os quatro homens suspeitos de assassinar a travesti Carla Viana, 20 anos.

A prisão foi confirmada pelo presidente da Comissão de Igualdade Social da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Betinho Costa. Ele informou que solicitou ao delegado Eduardo Mero, a prisão preventiva dos suspeitos. As informações são do TNH1.

Os supostos assassinos de Carla foram presos no bairro do Clima Bom, mesmo local onde a vítiima foi esfaqueada no dia 25 de junho.

“Por se tratar de crime hediondo, pedimos antecipadamente naquela reunião que tivemos com ele, que fosse pedida a prisão preventiva de todos eles, caso o delegado já tenha a certeza de indícios de autoria do crime. Essa medida visa assegurar a manutenção da prisão dos mesmo, que pode ser liberados após o término do prazo da prisão temporária”, concluiu.

Os nomes dos suspeitos ainda não foram confirmados à imprensa, mas devem ser divulgados numa entrevista coletiva, marcada para a tarde desta terça-feira (18), na sede da Secretaria de Segurança Pública, no Centro de Maceió.

O presidente da CDH explicou ainda que caso a prisão preventiva seja decretada pela justiça, os suspeitos só poderão ser soltos após manifestação do Ministério Público e com ordem judicial.

O TNH1 tentou conversar com o delegado Eduardo Mero, responsável pelo caso, mas ele não estava na delegacia. A reportagem também tentou contato com a direção do Grupo Gay de Alagoas (GGAL), mas nenhum membro da diretoria atendeu nossas ligações.

O caso

Carla Viana morreu na madrugada do dia 28 de junho, dia onde se celebra o dia do Orgulho LGBTTTI (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais, transgêneros e intersexuais), que tem o objetivo de conscientizar a população sobre a importância do combate à homofobia, no Hospital Geral do Estado onde ficou internada desde as agressões sofridas no dia 25 do mesmo mês.

Carla chegou a ser socorrida por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e, desde então, estava internada em estado grave no Hospital Geral do Estado (HGE). Ela passou por cirurgia, ficou entubada e sedada, mas não resistiu.

Ela teria passado a tarde em um bar e, ao deixar o local, foi seguida pelos agressores até as imediações da garagem de uma empresa de ônibus, onde foram iniciadas as agressões. Populares viram quando os suspeitos atacaram Carla e fugiram do local.

Em 2017, até o mês de junho, Alagoas já registrava 19 casos de homossexuais assassinados. O Brasil teve cerca de 70 pessoas mortas por motivos relacionados a gêneros.

tnh 1

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *