Cria
Home Geral Brasil PMs de UPP são investigados por usar drogas e armas para forjar autos de resistência

PMs de UPP são investigados por usar drogas e armas para forjar autos de resistência

PMs de UPP são investigados por usar drogas e armas para forjar autos de resistência
0
0

Mais de 20 PMs da UPP Caju são investigados por usarem armas e drogas para forjar autos de resistências, as mortes em confronto. A investigação, da Corregedoria da PM e da Promotoria que atua junto à Auditoria Militar, culminou na prisão em flagrante, nesta quarta-feira, de 12 policiais da unidade, incluindo o comandante, major Alexandre Frugoni. O material apreendido — que inclui 67 pinos de cocaína e 11 tabletes de maconha encontrados no teto do alojamento da unidade, 165 tabletes de maconha encontrados num armário e pistolas com a numeração raspada — seria usado, segundo as investigações, para incriminar homens mortos pelos agentes.

O material, segundo apuraram os agentes da Corregedoria, era levado à delegacia no momento em que os homicídios eram registrados. Os agentes afirmavam que as armas ou drogas estavam com a vítima. Os agentes também levavam o material para a delegacia para melhorar as estatísticas de apreensões da unidade. As investigações, em sigilo, ainda estão em andamento.

A apuração começou após o sumiço de um fuzil que estaria com um traficante morto pelos policiais no Morro da Coroa. A arma não foi apresentada na delegacia e o grupo de policiais começou a ser investigado. Os crimes investigados são roubo, peculato, porte de material entorpecente, fraude processual e associação criminosa.

Parte do material apreendido na UPP
Parte do material apreendido na UPP Foto: Divulgação

O principal alvo da corregedoria era justamente a sala do chefe da unidade. Dentro do gabinete do major Frugoni foram encontrados uma pistola Glock com a numeração raspada e quatro carregadores, outros nove carregadores de fuzil, bombas de gás, 261 munições de pistola calibre 40, 56 de 9mm, além de 1110 munições de fuzil.

Dos 23 mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça Militar, alguns deles foram cumpridos nas casas de policiais investigados. No endereço de um soldado, em Barra Mansa, foram encontrados maconha e cocaína. Na ação, também foi autuada a mulher do comandante, a também major Paula Andresa Frugoni, lotada no Departamento de Finanças da PM, por ter tentado esconder parte do material que estaria dentro da casa do oficial.

extraglobo

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *