No Banner to display

Home Geral Brasil Flávio Bolsonaro em vídeo antigo: “Vagabundo consegue se dar bem porque paga milhões em advogado”

Flávio Bolsonaro em vídeo antigo: “Vagabundo consegue se dar bem porque paga milhões em advogado”

Flávio Bolsonaro em vídeo antigo: “Vagabundo consegue se dar bem porque paga milhões em advogado”
0
0

Ao republicá-lo, usuários dizem que o “Flávio de 2018 dá recado ao Flávio de 2021”; defesa do filho do presidente tem se reunido com órgãos do governo e buscado barrar processo das “rachadinhas”; veja o vídeo

Um vídeo em que o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) aparece defendendo que a “lei é igual para todos, ou deveria ser” foi resgatado neste sábado (2) por internautas, que o compartilharam no Twitter. As publicações eram acompanhadas, no geral, por mensagens que diziam que ele era um recado do Flávio de 2018 para o Flávio de 2021.

Nas cenas, o filho 01 do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aparece ao lado do 02, Carlos, que é vereador no Rio. Atrás dos dois, o que parece ser uma manifestação com apoiadores do pai deles, pois há pessoas vestidas de verde e amarelo e até balões das cores da bandeira, que desde as manifestações pelo impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff (PT) foram apropriadas pelos direitistas.

Carlos não fala no excerto compartilhado pelos internautas. Mas Flávio faz um discurso exaltado. Começa dizendo que “criminoso tem que cumprir o que a lei estabelece como pena para ele”. Segue afirmando: “Não é passar a mão na cabeça de marginal, não. Não é uma lei diferente para um cidadão e diferente para outro, a lei é igual para todos. Ou pelo menos deveria ser”.

Na sequência, ele diz que vai deixar um recado que é um “protesto” de “milhares de brasileiros, talvez milhões pelo Brasil que estão indignados”.  Em sua visão, essas pessoas “não aguentam mais tanta corrupção e tanto vagabundo conseguindo se dar bem, burlando lei, pagando advogado que cobra milhões pra defendê-los porque tem conchavo na corte mais alta do nosso país”.

Veja o vídeo:

Enrolado nas “rachadinhas”

Três anos depois da gravação, identificada como sendo de 2018, Flávio está enrolado no caso das “rachadinhas”. O Ministério Público do Rio de Janeiro ofereceu denúncia contra ele, acusando-o de chefiar um esquema quando era deputado estadual no Rio de Janeiro, pelo qual funcionários de seu então gabinete devolveriam parte de seus salários. Ex-policial militar e amigo de décadas de Bolsonaro pai, Fabrício Queiroz é apontado como o operador do esquema e também foi denunciado.

Ao longo de 2020, a defesa de Flávio se reuniu com integrantes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência (GSI) e da Receita Federal em busca de dados para tentar livrá-lo das acusações. Nos dois primeiros casos, a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármen Lúcia determinou que a Procuradoria Geral da República (PGR) investigue uma suposta elaboração de relatórios feitos pela para orientar os advogados do filho do presidente.

Além disso, o andamento do caso tem sido postergado nas “instâncias superiores da Justiça”, parafraseando o Flávio do vídeo. Sua defesa tem apelado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) para travar o prosseguimento da ação. Os advogados do senador levaram nada menos do que quatro recursos àquela corte contra o avanço das investigações do caso. Em novembro, o ministro João Otávio Noronha pediu vistas do processo.

REVISTA FORUM

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *