Home Destaque Achado de ossada e peças de roupa confirmam versão dada por suposto assassino em áudio

Achado de ossada e peças de roupa confirmam versão dada por suposto assassino em áudio

Achado de ossada e peças de roupa confirmam versão dada por suposto assassino em áudio
0
0

Mãe de Roberta Dias recohece sutiã usado pela filha no dia em que ela desapareceu

A descoberta dos restos mortais e peças de roupa encontrados na Praia do Pontal do Peba, nessa quarta-feira (21), confirmam a versão dada por Karlo Bruno Pereira Tavares em um áudio vazado em 2018 e que já foi periciado pela Polícia Federal. No áudio, o acusado relata que enforcou o Roberta Dias com um fio de som automotivo  e enterrou o corpo da jovem entre as praias de Feliz Deserto e do Pontal Peba. Na época do crime, em 2012, Roberta Dias tinha 18 anos e estava grávida de 3 meses. Segundo trechos do áudio,  Saulo Araújo, pai do bebê,  participou da ação criminosa.

O áudio completo está no final desta matéria. 

No áúdio que tem 43 minutos de duração, o suposto assassino, em conversa com outro homem, revela com detalhes como a vítima foi atraída, enforcada e enterrada.

“Eu fiquei na mala. Aí quando eu senti o carro parar, dei aqui a volta logo assim, na mão. Estiquei assim”. Então, o homem que participa da conversa , pergunta, “o fio”? Bruno responde, “Sim, mais ou menos que eu sabia que dava para garantir no pescoço dela”.

No áudio, Karlo Bruno diz que não esquece o momento em que ele estava enforcando Roberta Dias e ela disse: “Tenha calma, eu vou tirar o bebê”.

Ele revela ainda no áudio que trocou de lugar com Saulo que estava dirigindo o carro. Karlo Bruno afirma que Saulo vai para o banco de trás e fica segurando o fio para ter certeza que Roberta Dias estaria morta até eles chegarem no local onde o corpo seria enterrado.

Nesta quarta-feira (21) a família de Roberta Dias conseguiu uma retroescavadeira e foi remover a terra em um trecho da Praia do Pontal do Peba onde no último domingo (18) foi encontrado um crânio feminino.

No local, a família encontrou uma ossada humana e roupas. A mãe de Roberta Dias, Mônica Reis, reconheceu um sutiã que a filha usou no dia que desapareceu.

“Tenho certeza que essa ossada é da minha filha , esse sutiã eu ganhei de presente e emprestei para minha filha usar naquele dia”, afirmou Mônica Reis.

Entenda o caso

Roberta Dias foi raptada das imediações da Praça de Santa Luzia, em Penedo, no dia 11 de abril de 2012, e nunca teve seu corpo encontrado. Anos depois, um áudio, que, inclusive, foi periciado pela Polícia Federal (PF), vazou nas redes sociais mostrando um diálogo entre dois jovens, em que um deles confessa que matou a jovem enforcada, com o fio de uma extensão de som automotivo e que enterrou o corpo em um trecho situado entre o Pontal do Peba e Feliz Deserto, com a ajuda do pai da criança que ela esperava.

O processo segue em tramitação na 4ª Vara Criminal de Penedo, e tanto o réu-confesso de ter praticado o crime, quanto a então sogra da vítima, que, também, foi denunciada pelo Ministério Público (MP), seguem em liberdade. Ambos respondem por homicídio duplamente qualificado (motivo torpe e recurso que dificultou a defesa da vítima), ocultação de cadáver e aborto provocado por terceiro.

Redação com 7 segundos

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *